sexta-feira, 31 de julho de 2009

O encontro está suspenso. Fiquem em casa.



Curitiba - Foi cancelada a apresentação do Formigas Glitter em Araucária, estado do Paraná. E isso por que? Porque temos que cuidar com a pandemia. Não, não vou escrever sobre o fim do mundo, ou a extinção da humanidade, nem me aproveitar disso para incentivar a cultura da paranóia.

Mas, basicamente,está acontecendo o seguinte.



A Organização Mundial de Saúde deu orientações precisas sobreuma das principais formas de evitar o contágio da gripe Nova Gripe: evitar eventos que reúnam muitas pessoas. E o teatro é basicamente isso, um evento que reúne as pessoas. Então,por enquanto, esteja posto que a atividade teatral trata-se de uma atividade de descumprimento. Eu mesmo sempre descumprimentei o teatro, e essa áura mística e simbólica do encontro, que vem sendo pervertida por manipuladores conceituais, e perdidos.

Esfria cada vez mais em Curitiba, e o céu não muda o seu aspecto. O que isso faz com a sensibilidade das pessoas? Um mesmo céu cinza por semanas, no ambiente a mesma umidade, entrando e saindo pelas mucosas. Agora que precisamos ficar em casa, que as aulas foram suspensas, que muitos compromissos foram suspensos, que fica difícil enfrantar rotinas como de rodoviárias ou aeroportos, ou mesmo os tradicionais e tristes e divertidos "porres", podemos parar um pouco. Só nos resta ficar em casa mesmo. Eu me afundo no café.




O encontro do teatro, para assistir a uma mentira, que "todos" "sabem" ser mentira, mas insistem em assistir, porque alguma história sempre está relacionada a um jogo de espelhos com a pessoa, ou a própria organização gestual, visual e sonora que arrasta a psiquê. Como o pessoal que se encontrou em março nas apresentações do Formigas Glitter no Teatro Universitário de Curitiba, passando pela sinopse (que era uma sinopse de "nada", composta com frases da peça), para ver uma mistura deVincent Van Gohgh com Vincent Price, que na verdade era um performer fracassado. Esse encontro está suspenso. Acho bom. Acho realmente bom. Fora o lado paranóico disso tudo, fora o lado hipocondriaco, fora essa loucura...é um tempo para ficar sozinho. Isso devia voltar a ser equacionado quando se fala em bem estar social, quando se fala em reforma na educação, e principalmente quando se fala em produção artística. Um momento para ficar sozinho, tratado também como um encontro, tratado também como uma cena, preenche de "conteúdos" psíquicos riquíssimos nossas tentativas de encontros "na vida real".

É só isso, só mais um período onde a preservação é o principal leitmotive, a linha de força que parece reger tematicamente o nosso cotidiano. Espero que seja um vírus que nos ensine um pouco sobre a auto-preservação que não nos ensinam na escola, nem na faculdade, nem na iniciação científica, nem na pós-graduação. A preservação do que nós somos, é parte de um raciocínio que mistura filosofia e história, e está sendo desenvolvido por mim, em forma de dramaturgia.








Límerson, autor e diretor da peça Glitter Ant (Formigas Glitter - Brilho de Formiga), cancelada nesta semana em virtude da orientação da Organização Mundial da Saúde. Estas fotos foram tiradas da apresentação no Teatro Universitário de Curitiba, em março de 2009, por Emmanuel Peixer.

3 comentários:

Felipe Chaves disse...

Bom, eu comprei vários ingressos. Quero meu dinheiro de volta.

Ana disse...

Mas para o bem de todos os espetáculos em Curitiba também serão cancelados. Duas semanas sem hipocrisia.

Límerson disse...

Duas semanas pra ficar em paz consigo.

Pesquisar este blog