domingo, 7 de fevereiro de 2010

Outra cara

para a cara de cada rosto
deve haver uma figura pronta
onde a linguagem não se arrebenta

estou com outra cara
um olhar desconfiado

nenhuma visão que se abre para
minha nova perspectiva de então

vislumbra poema ou tendência narrativa

arrebentei meu supercílio esquerdo
contra uma calçada durante à noite
quebrei meus óculos e cicatrizo


Nenhum comentário:

Pesquisar este blog