sábado, 27 de março de 2010

Um hippie micróbio e um playboy



- Ei, irmão, ei, irmão. Posso roubar um pouco a sua atenção?
- Não tenho nada para ajudá-lo, desde já vou avisando.
- Então beleza, desculpe aí.

O playboy olha para trás enquanto caminha, e volta aonde o hippie micróbio estava.

- Escuta, você já se previniu contra a nova gripe?
- Não, não tomei a vacina.
- E que tipo de lesado é você que não se vacinou para a nova gripe?
- Sou desses que perdem as datas das coisas e ficam deitados fazendo simplesmente nada.
- Entendo.
- Ah, entende é?
- Sim. Eu também não me vacinei.
- É mesmo?
- Acabei perdendo a data também, eu estava deitado e não fazia nada.

Olham nos olhos um do outro, com um riso vasando entre os dentes cerrados. O riso vai se gargalhando naturalmente. Brincam de espirrar, como crianças. Espirram pra cima e observam as particulas se misturarem no ar. Espirram juntos no caminho dos transeuntes da Rua das Flores.

- Vamos espalhar essa loucura pelo mundo?
- Eu acho que é disso mesmo que o mundo precisa, de uma loucura sendo espalhada.

E ali, os dois passaram alguns minutos, muito curiosamente demorados, cultivarando um certo idealismo partilhado, o qual nunca imaginariam partilhar. Um hippie micróbio, e um playboy.



P.S.: acabou ficando cultivarando mesmo

2 comentários:

Felipe Chaves disse...

Isso tudo tem alguma coisa a ver comigo?

Límerson disse...

Felipe Chaves, o último playboy do Brasil.

Pesquisar este blog