quarta-feira, 5 de maio de 2010

MANIFESTO PEEP SHOW - 06/05 - 20H

CURITIBA-

Manifesto Peep Show é uma etapa do segmento Território Imaginário, apresentações cênicas envolvendo elaboração de dança idiossincrática e transe pré-hipnótico. Território Imaginário existe há mais de quatro anos, tendo sido apresentado na Mostra Sesc de Artes Universitárias em 2009, e existindo também como apresentações para convidados desde 2006. Vem antes de Límerson começar a dirigir peças de teatro.

O Núcleo de Espetacularidades existe desde 2006, e apresenta peças em Curitiba desde 2007. É um paralelo, uma analogia espetacularizada, dos membros envolvidos. Envolvimento inclusive é uma palavra chave, que permeia entre nos libertar e nos aprisionar. Nenhum ato ainda foi transgressor, aliás e cada vez mais aparenta-se uma retomada. Creio que a aparência seja própria do meio com o qual nos relacionamos, meio de produção de aparências. Vínculo estabelecido: nenhum suficientemente provável, impressão de vinculação: impressão de vinculação à tudo o que foi visto.

No Ato Performático o Núcleo de Espetacularidades aparece com sangue no supercílio. Não colocou nem as mãos quando caiu com a cara no chão. Manifesto Peep Show, cicatriz que sangra em ferida, como num efeito reversivo, não se retroalimenta de seus princípios. Como no meu aniversário de um ano, quando chorei tanto sem haver nenhum motivo, é fraca minha lembrança.

Cena: Sansão, em lapso de extrema feminilidade, intui acerca de seu iniciamento, no mundo pós-mitológico de retrodramaticidade. Faz isso através de celebração dançante. Aparência inicial: ritual monocórdico de transformação. Aspecto totalitário: Território Imaginário, segmento serial de manifestações (Peep Show Masturbatório) cênicas, reapresentado paulatinamente, sem chegar no infinito.

Predominância: Poeta Xamã. E atuantes com procedimentos de ensaios distintos.

Nenhum comentário:

Pesquisar este blog