sábado, 19 de junho de 2010

Rascunhos 2

o filhote de elefante repousa no meio da vitoria regia. sobra apenas a arquibancada. estamos com um céu dormente, um céu que formiga no pescoço e nos braços. os pais do elefante estão fazendo sexo nalguma paragem desta gigante praça. praça de alimentação dos prazeres. os elefantes quando estão tristes simplesmente desaparecem. o filhote repousa como derrotado de uma batalha, como quem desiste de argumentar num debate, como quem baixa a tromba e chega. os pais dele estão nalguma paragem, colhendo novos truques da vida, eles não podem pular nenhuma etapa. um elefante não pode nunca pular nenhuma etapa na sua formação. a mãe diz:

- quer pipoca?
- não.
- não quer?
- não.
- o que é que você tem?
- não queria precisar responder.

Nenhum comentário:

Pesquisar este blog