terça-feira, 15 de junho de 2010

Tudo o que vês chegou ao fim 2

- O Império Romano não é mais infinito. Eu não conheci nem o Império Austro-Húngaro. Nem a União das Repúblicas Soviéticas. Nada. O máximo de intercontinentalidade em minhas experiências pessoais foi ter jogado um jogo russo dentro da Rede Ferroviária Federal do Brasil Sociedade Anônima. Sob o gigante meio viaduto em eterno inacabamento, imposto à ocupação do espaço. Você conhece os meus amigos? Permita-me apresentá-los. Este é Tito Lívio:
-Oi, sou produtor cultural.
-Esse é Próspero, da Aquitânia.
-Oi, eu sou agente cultural.
-Essa é Mary, Mary Stuart.
-Oi, eu sou contaminadora cultural.
-Esse é o Wilson.
-Oi, eu sou representante cultural.
-E essa é Le Goff, recicladora de gêneros.
-Oi, eu sou o lixo cultural.
-Como você pode ver, nós defendemos a diversidade cultural.

WILSON: Os impérios,como os indivíduos, tem uma vida e uma existência que lhes é própria. Crescem, atingem a maioridade, e depois começam a declinar.
PRÓSPERO: A decadência dos impérios, sendo uma coisa natural, acontece de uma maneira idêntica a qualquer outro acidente, como, por exemplo, a decrepitude que afeta a constituição dos seres vivos.
WILSON: Afeta é a ausência de feto. No pós da ausência de coito.
MARY: Eu quero te confessar que eu aborto muito mais vezes do que me confesso.
PRÓSPERO: Eu me aborto. Por isso sou encucado em incubadeiras de todos os tipos, para todos os tipos.
LEGOFF: Eu gosto dos tipos típicos.
TITO: Pare de ser uma descompromissada com tudo!
WILSON: E o senhor, pare de ser uma concubina.

ME: Isso, continuem alimentando a minha sede é a mesma.

MARY: Spengler aborda uma história mais faustiana do que Nietzsche e Goethe juntos. Nietzsche e Goethe juntos são mais Sturm und Drung do que Tempestade e Ímpeto. Não tão tempestade e ímpeto quanto Stirb und Werde. Da morte a transfiguração: morrer é viver até o fim.

LEGOFF: No campo da política as origens são misteriosas, os nascimentos inexplicáveis, as estabilidades são raras, e os aniquilamentos são evidentes. A história da política é uma história de séries e séries seriais subseriadas em decadências relacionadas.

MARY: Morrer é viver até o fim.

-Então toma!
Ela atira em cada um deles, matando um à um.
-Isso é o que eu faço com os meus amigos. Esses são os meus amigos. Você os conhece? Nós somos mais do que um grupo de amigos. Nós somos uma civilização. A exploração de
-uma herança histórica morta, juntos.

LEGOFF: mórbidaaa...

-Somos a fase necrofágica de uma cultura.
-a agulha que desce, ou seja, o sol poente. o último imperador mexicano.
-Um Necrotropos num Necrocorpus num Necrolocus.
-Decadentistas! Por que você atirou no seus amigos?
-Oh... oh... oh... oh... oh... porque você pediu.
-Você às vezes age como um homem. Um homem frágil.

Nenhum comentário:

Pesquisar este blog