domingo, 7 de agosto de 2011

Canção para hipnotizar pai e filho



visto de baixo para cima

um monstro cantarolava

a gota de água quente

bateu no meio da testa

a pedra incandescente

da boca analfabeta

a gota equilibrada

como verruga úmida

onde queimava a ruga

vista de baixo pra cima

fiquei sem comentários

arregalando as narinas

a pedra no cenho quente

o furo onde grela o dedo

a gota ressecando aguda

o grito dito sem palavra

o isso dito sem os dentes

um monstro de baixo pra cima

depois do travessão barbudo

do ato mito sem navalha

se brota sangue do adubo

o jorro puro é a gota falha

(Curitiba, 2011)

Nenhum comentário:

Pesquisar este blog