segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Penélope Pileata - Notas de Ensaios




01/09/2011

um texto para penélope pileale. um texto dito por um diretor em off. na ponta da perna da coxia do urdimento que só mesmo a carpintaria mais kantoriana faria acontecer. into the wild. ataques de choro para dormir. algumas palavras chave conactadas pela palavra llanto. llaves secretas acontecem. muitas leituras, definitivamente muitas leituras sendo postas em relação. um texto de circustancia: h a d o - f u e r z a d e s c o n o c i d a q u e , s e g ú n a l g u n o s , o b r a i - r r e s i s t i b l e m e n t e s o b r e l o s d i o s e s , l o s h o m b e r s y l o s s u c e s o s - e n c a d e n a m i e n t o f a t a l d e l o s s u c e s o s - vai chorando que eu vou falando.

09/09/2011

o que motiva o encontro de duas propostas distintas de atuação? o que pode nos garantir que elas se encontram, numa trajetória de quinze minutos. isso não é uma resposta, é apenas uma resposta. um atuante com orientações de cena, outro atuante com outras orientações de cena, como se encontram? não é preciso que ocorra interferencia direta. isso não é uma resposta, é apenas uma resposta. "entre as verdades diligentemente exploradas e tais coisas pressentidas, permaneceu intransponível o abismo, por aquelas se deverem ao intelecto, estas à necessidade". a fome que deseja o alimento, pressente a existência do alimento, considera a saciedade e o temor no todo de um potencial. qualquer passo é qualquer na terra da incerteza?

22/09/2011

estes últimos encontros, os últimos primeiros encontros, pressuposto de ensaios e tomadas de decisões, tem servido para mapear o ritmo de produção e também para reinventar a forma de mapear o ritmo de trabalho até servir como uma redefinição postiça de uma forma de inventar. tem sido encontros que apontam para um novo olhar pessoal sobre o meu trabalho, necessidade de um pressuposto da passagem do tempo, até a redefinição da indefinição. à partir do cotidiano é um trabalho sobre o reconhecimento da intuição. eu trabalho com quem eu reconheço a manifestação sutil de uma circustancia atuante inconscientemente, numa base onde o desejo da intuição é um agenciamento da realidade, supondo a passagem de um tempo próprio para que as relações tenham a chance de serem preenchidas de sentido. se eu me pergunto da importancia disso, do além disso, do a partir disso e além disso, seria inviável acreditar na resposta?

Nenhum comentário:

Pesquisar este blog