sábado, 23 de junho de 2012

A Prática do Saudosismo Performático


O que me incomoda e ao mesmo tempo me entristece é a minha indecisão. Não, o que incomoda e entristece na minha indecisão é que não é minha indecisão, mas a decisão que eu tomar. É a decisão que eu tomei que não é. Nada demais, além dum furo no tempo que se insere no curto acontecimento da decisão, prolongado como um enredamento continuado. O que me entristece nessa indecisão é que me entristece a decisão. A insinuação no desenho da opção, considerando como esboço desses vestígios, as reações que obtive como resposta. 

Quando detive o próprio desenho da decisão, a opção sendo considerada, tinha um aspecto positivo inegável. Eu me detive nesse aspecto naquele dia em que estava deitado com tamanhos comprometimentos. O que me fez lamentar a opção provisória de voltar é que pareceu essa a opção menos lamentável no meu horizonte. Ao lamentar a perfeição dessa decisão, teci ponderações sobre as inúmeras vantagens envolvidas. Nisso eu fui perdendo a capacidade de expressar a decisão, e também o movimento tão importante que essa decisão acarreta. 

Determinado movimento de acordo processual no qual a associação de imagens configura um campo de probabilidades contagiosas. Despertai as ilusões das interações com as dinâmicas dos despertares. Sempre o mesmo despertar que vai dando a impressão de que não está fluindo, vai dando a impressão de que já fluiu melhor, e vai dando uma série de impressões à partir daí, sendo que uma parece anular a outra, conforme estabelece na verdade uma relação perversa de composição. Assemblage imperfeita de perversões.

Acredito que caso eu possa retomar a sensação de retomada indefinidamente: à partir de agora. Ou aliviar a impressão de que algo foi perdido: Exegese apologética da indecisão em que há um corpo vibrátil. O alento está arraigado em vivências trôpegas do que passei a chamar de condições da convivência: todas sem órgãos. Retomada do fluxo imagético-fantasmático: tanto tem invadido a pós-dramática quanto tem evadido da pós-traumática. Perseguição da intensidade do parto pós-traumático. 

Acredito que caso eu possa retomar a dimensão onde me colocava em relação a decisão tomada outrora ou considerada conforme: mais ou menos como você fazia. Retomando sempre o saudosismo performático que inventamos na kitnet. E seria além de tudo um tipo de dar de ombros, sendo mordido por um lagarto, dando a nuca pra varanda e pegando brisa na tatuagem.

L.

Nenhum comentário:

Pesquisar este blog