domingo, 6 de janeiro de 2013

Trauma Cha Cha Cha - Prólogo de uma Arte Cênica Climatérica




acenderemos a primeira chama de uma arte cênica climatérica. Vamos derreter o núcleo de espetacularidades em despedaçados membros arrojados de trauma cha cha cha. Uma vídeo-criatura de otávio donasci será decapitada. o resultado disso será pesquisado no google.

tudo começou com um chamado. triunfa o núcleo de espetacularidades a estreia perene de um elenco póstumo. sussurra a língua da pós-modernidade. o que trazemos com nossas mãos estendidas está disposto sobre o nosso corpo estirado e se coloca disponível quando encaixamos o quadril para o consumo “in natura” desde o extremo ilíaco ao pequeno píncaro pineal que eclode em pétalas.

a conexão do movimento dos braços com as costas se distende para inflar em discos entre as vértebras. inflando até girar em campos inflamados de visão. esse giro espirala até o queixo na mira o fluxo a mera tessitura da emissão. tentamos extirpar de nossa exímia minúcia a mais execrável e a mais inextinguível estrutura pétrea de pensar âmagos.

galhos de âmagos também são frutas climatéricas para pôr os dentes esporádicos nos gomos de suas fábulas rapsódias.  medulas de copas voluptuárias em vidro para cultivar abraçado um cubo de gelo e ao escoá-lo lavar a rua e colher membrana da penumbra alumbra. a condutora escura o vão da cortina.

Nenhum comentário:

Pesquisar este blog