sábado, 16 de março de 2013

acendedor de orelhas pequenas


eu era uma sereia com voz de veludo

pacotinhos de pente escrito sustentável

tangível à prateleira dos aerossóis

eu era uma mulher pós-concreta

no meu quarto com orelhas pequenas

coloria gerúndios com penetráveis

velas do hermetismo impermeável

para o amor que eu matei ser um filho

um menino com olhos signos de seca

eu era a bússola de um sudeste sem luz

a voz poluída de um discurso solipsista

sem membros de ir nem decurso de vôo


Nenhum comentário:

Pesquisar este blog