sábado, 15 de fevereiro de 2014

Uma década


Não havia nenhuma hereditariedade no que fazia o filho de uma dona de casa com um eletricista. Exceto num fiasco fundamental ocorrido 10 anos atrás: "O Vendedor de Idiossincrasias" (título da primeira peça que realizou). Ator, autor e diretor, falou coisas tão íntimas sobre si e família que acabou morrendo para algumas pessoas. Tudo virou um macumbão melodramático de mortos vivos. É com orgulho que ele se lembra com vergonha daquilo. Não houve como cicatrizar o fascínio de encenar suas palavras em outras bocas sem a ressonância de pés inchados pisando em Fausto. Algo lhe dizia que se houvesse alguma hereditariedade vendia a alma no ato.

Nenhum comentário:

Pesquisar este blog