terça-feira, 21 de outubro de 2014

claze muerta

na rua da alma chuva e nos folgos de artifício, de onde todos os lugares se foram, de todos os lugares do corpo. os passados conversam com as realidades dos grupos, a dança de inimizades fantasmáticas, a vida perversa das caricaturas em silêncio, os membros de uma estátua que homenageia e envia cartas. isso foi levado à sério demais, não poderia ser interrompido. há muita confusão de sentimentos, e envolvimentos distorcivos da realidade nisso que estamos fazendo, por conta de escolhas que precisem o rasgo de fogo na pele: parece que o público conhece segredos melhores. se eu fosse imitar você falando sobre mim, você seria essa cidade, pensamento.

(a dona aranha estava atrás do espelho, veja nessa foto que ela atravessou, a cada constrangimento, a cada constantemente, a dona aranha estava atrás do espelho (

                     











  =                                      ))))))))))))))))))))))))

Nenhum comentário:

Pesquisar este blog