sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

fôlego

(Verso)

(Frente)

na boca sem fôlego que se move
está com a garganta cortada
esse pensamento que infinda.
é assim que o infinito te pensa
na boca sem fôlego que se move
pergunta o motivo do medo.
e o pensamento encurta o infinito
e o infinito curva a garganta
na boca sem fôlego que se move.


(Do livro fictício "Do mais excruciante Dezembro", 2014)

Nenhum comentário:

Pesquisar este blog