segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

ONDE


Self Burial With Mirror - Keith Arnatt
Onde
“Pede-se à pele que responda”
Ela repele

Onde
Expulsamos o espelho
Ele está velho

Onde
A pedra ciumenta de vidro
Quebra e só aumenta

Onde
Estouram as bolhas frias
Lágrimas de banho

Onde
A grávida que me olha
Molha a barriga

Onde
A palavra dá seus pulos

Olha a gravidade

2 comentários:

Francimeire Leme disse...

Leio tua poesia-imagética e vejo uma cena, na verdade, várias cenas...como flashes. Talvez de uma memória, ou dentro de. E me pergunto: "Aonde o onde vai?".

Límerson disse...

Oi Fran. Não sei se eu passo do chão, ou se chego até lá. Obrigado pelo comentário, e pela presença.

Pesquisar este blog